quarta-feira, abril 09, 2008

Crescendo (XXII)


Mummy, sabes que o Castelo de S. Jorge é o coração de Lisboa Medieval? Mãe, Lisboa Medieval é ainda mais bonita que a cidade que se vê quando atravessamos a ponte, lembras que estás sempre a dizer-me quando regressamos, atenta na paisagem, a nossa cidade é linda! Mãe .. adorei a visita de estudo. Fomos à Sé e ao Paço Real que já não é o original, subimos e descemos todas as ruas, a Professora ia reproduzindo o que se tinha passado ali e quando, sabes que a Igreja de S. Domingos é a mais bonita de todas as que eu conheço mãe e muito importante, foi lá que o povo aclamou o Mestre de Avis como regedor do reino, mãe? Regedor é mais ou menos Rei não é? Ahh e na Associação dos Amigos dos Castelos tirei imensos apontamentos para o trabalho! Mãe .? ajudas-me a compor isto tudo? Eu leio-te o que escrevi, pode ser?

(tudo isto de um só fôlego)

A princesa na descoberta de uma raiz que lhe pertence.
Encantada. Lembro-me que na visita a Guimarães foi quase emocionada que percorreu o berço da nação aliando ao que visitava todos os ensinamentos da disciplina de História, e aprendendo outros tantos.

Agora estou em falta com um último pedido.
Ir à Biblioteca Nacional ler uma carta de foral verdadeira.
Pode ser uma qualquer mummy mas eu quero ver sem ser no livro. Sabes que era um pedaço de papel que fazia feliz uma população inteira?
Que simples mãe.

Que simples, filha.
E a felicidade está nas coisas mais simples, dizia alguém .. *

10 comentários:

Nocas Verde disse...

... e são simplesmente felizes e fantásticas as coisas simples que nos transportam simploriamente para os recantos das nossas próprias descobertas, neste país que de simplório não teve nada e que simplificadamente acredito que poderá não ter ainda. (sorry) rsrs
Linda(s)... as usual!

O Réprobo disse...

Querida Once,
nessa felicidade por simples meio estava encerrada a filosofia oposta ao «Simplex».
Em breve a Princesa será seduzida pela sábia constatação de W. Churchill: "Venero o Passado, desconfio do Presente, temo o Futuro".
Beijinhos

lgbolhares disse...

É. Simples! Tão simples que até parece complicado entender que não é o mais complicado, difícil, inacessível o mais importante...

Mike disse...

E não é que é mesmo simples mummy? :)

av disse...

Simples mas importantíssimo, como a busca das raízes que a Princesa já intui ser fundamental...
Um beijinho

Once In a While disse...

nocas .. as simple as that *

Caro Réprobo .. trocando o "temo" pelo "enfrento" e senti-la-ei preparada :)

lb quase nunca é, de facto.

mike :)

deveras Querida Ana *

Luísa disse...

Querida Once, é o prazer (inesgotável) de poder ver, reconhecer e apalpar aquilo sobre que lemos nos livros de História. Um contacto físico, que retira muita da aridez que tem – ou que tinha para mim, nessa idade - o acto de estudar e que cria memória. Lembro-me de ouvir alguém dizer que estudamos «dez» para poder esquecer «nove». Assim, já só esquecemos «oito» ou «sete»… :-)

Once In a While disse...

Luísa, nem mais .. o "onde foi?" para além do "como foi?" nestas idades dá-lhes pano para mangas de imaginação .. :)

tcl disse...

tão bom quando os nossos meninos crescem assim, de olhos abertos e a quererem saber mais e mais... bela princesa, a tua, once!

parabéns e obrigada pelo simpático comentário que deixaste no meu sítio.

Once In a While disse...

Cara tcl bem vinda a este espaço que é teu também * e obrigada por essas palavras.
Quanto ao meu comentário reforço o impressionante que é aquele teu texto :)
Beijinho *