terça-feira, outubro 23, 2007

Memória (VIII)

I had a dream tonight dear .. they were playing football and calling me to join .. can you imagine .. me and football? .. a avó esboça um sorriso cansado, esconde a dores .. e estende-lhe a mão .. uma mão disforme na doença que lhe altera os contornos e a faz gemer de dor ..
They granny? Who are they? .. pergunta ela no terror de receber a resposta .. a resposta que lhe dirá que sim .. a avó está de novo de partida .. mas desta vez ..
Daddy, mummy and Vladimir, sweetie ..
Don’t you go granny .. !
e as lágrimas sufocadas na garganta e presas à beira dos olhos saltam aos pares .. lágrimas grossas de pura impotência .. impotência de menina mulher..

..But she went

E hoje, no aniversário do seu nascimento, conforta-me a ideia que haverá algures um campo relvado, um campo relvado com orlas de papoilas e cactos gordos .. aqueles que gostava de apanhar no Guincho para o chá contra a tosse no Inverno .. um campo relvado, num verde raiado de amarelo torrado, que sirva de palco a brincadeiras e jogos de quem se encontra .. de quem se espera .. com a certeza serena que o outro .. chegará.
Um campo idêntico aqueles por onde passeámos, onde aprendi para que serve determinada erva e porque cresce aqui e não além um determinado arbusto.. onde apanhei bichos de conta para os ver enrolar ou escutei do cimo das árvores o piar fino de crias em busca de atenção ..

..ou talvez uma praia. Como aquela onde passámos férias, apanhando conchas para fazer colares ou simplesmente para guardar em recordações que no Inverno nos sabiam a mar e a sal.
As rochas onde mirávamos, em silêncio, os pequenos caranguejos esperando que se enterrassem na areia, onde tirávamos as algas do mar para rapidamente as vermos mudar de cor .. devolvendo-as .. ou as outras onde se multiplicavam pequenos cardumes de coisas transparentes e rápidas .. peixes? Não querida .. são pequenos camarões ainda sem cor.

Memórias difusas, confusas, misturadas numa saudade que ainda me aperta o peito, sal de uma lágrima teimosa .. desejo sentido de não deixar partir.

5 comentários:

Mike disse...

Um abraço miss Once, num dia especial que lhe traz à memória uma pessoa especial... não sei porquê, eu que nada tenho de vidente, neste momento adivinho uma granny sorridente, afagando a cabeça de uma menina já mulher, numa praia onde apanhavam conchas e miravam pequenos caranguejos... orgulhosa da neta... :)
She went but she's always there.

LB disse...

Memories...
What else have we got?

Abraço

Once In a While disse...

indeed mike . :) thanks

.. a lifetime made by present, past and whatever they call the day to come ;)
thanks LB ..

Helder Robalo disse...

Até a mim me deixou um nó na garganta... Um beijo grande Once!

Once In a While disse...

.. :) Helder