quarta-feira, outubro 31, 2007

Chamem-me embirrenta ..

.. claro que temos mais uma batata quente nas mãos .. claro que os olhos estão postos nas decisões a tomar por este cantinho à beira-mar plantado .. claro que desejo que se tome um decisão que deixe orgulhoso o povo e o país sem que para isso se tenha de pegar fogo ao batatal .. porque aí nem o mar próximo será capaz de ajudar ..
Mas espanto-me .. espanto-me com os comentários de quem percebe mais disto do que eu .. espanto-me quando arvoram um ar de “deixa p'ra lá” que há mais, há muitos mais Mugabes a quem estendemos a mão e com quem partilhamos uma chávena de chá inglês sentados a uma mesa .. espanta-me.
Tenho de o confessar.
Porquê?
Porque ao abrigo daquilo que não se faz ou fez em outras ocasiões, ao abrigo da noção que o facínora não é único, a coberto do facto de que déspotas como ele existem, sempre existiram e sempre existirão, também desta vez, adivinho, não se vai dar o murro na mesa nem levantar a ponta do véu.
E era importante que se fizesse algo.

Chamam-lhe diplomacia .. eu tenho outro nome para isto.

PS_ partilho por aqui um dos melhores textos que li sobre o tema até agora.

terça-feira, outubro 30, 2007

Why .. (?)

Abstenho-me de comentar ..

Mas .. sinceramente espero que os culpados sejam devidamente castigados sem que se levantem agora os “famosos” defensores dos direitos humanos .. uma contradição quando as pessoas que fazem isto serão porventura tudo .. menos humanos.

E as crianças?

..será pedir muito que sejam salvas de um destino que não pediram para viver?

segunda-feira, outubro 29, 2007

life .. oh life (II)

E por escrever sobre brincadeiras com letras esta “noviça”, eterna aprendiz, eterna amadora e amante de letras e que a mais não se propõe, acaba de ser brindada com um “prémio de escrita” .. :)
Seriamente releio-me.
Este blog a caminho de um ano de idade (lembrem-me de cantar os parabéns em Janeiro s.f.f.) é uma pálida amostra dos meus preciosos e escondidos cadernos a propósito de tudo .. e a propósito de nada.
Já todos perceberam que se não escrevo sobre a vida, escrevo sobre a vida e ainda sobre a princesa ou sobre a princesa e sobre a vida logo a seguir ;)
A vida, a minha vida, tal como a vossa, cheia de pequenas peripécias, às vezes entre lágrimas, ou entre risos, gargalhadas ou meros sorrisos mesmo que quase secretos.
As conquistas, pequenas, por vezes imensas e ainda outras vezes completamente goradas, todas elas gozadas e vividas. Com a intensidade própria de quem um dia se apaixonou .. pela vida.
Mesmo que em breves instantes de fortuita benesse sabendo que no minuto, instante ou dia seguinte a coroa ser-me-ia retirada e de princesa orgulhosa passaria a plebeia que luta pelo pão que tem de comer.
Fases, que como as da Lua, são várias.
Algumas levadas e vividas aos extremos por serem tão sãs, tão agradavelmente surpreendentes.
Outras minimizadas à força, caóticas, acontecimentos que nos surpreendem não sedutoramente mas carregados de um tal negativismo que o melhor é correr o estore e deixar a vela acesa durante a noite.
Medo? nem da chuva .. ;) mas de todas as coisas que não estando na minha “mão” resolver, me atormentaram e me fizeram perder o precioso descanso que o corpo merecia, até me aperceber que precisamente não estando na minha mão resolver, não valeria a pena perder muito tempo com .. e muito menos o precioso descanso que mereço ..
Vida .. este percurso singular .. (onde é que eu já li isto?;) que fazemos sozinhos ou acompanhados e se assim for, só mesmo quando valer a pena e possamos de alguma forma completar outro alguém e sentir-nos igualmente .. completos.
Mais completos.
Peças de pequenos puzzles que “fabricamos” ao correr dos acontecimentos, mesmo que por vezes coloquemos mal a “peça” que de tão imensa rasga os cantos tentando encaixar-se no cubículo que lhe atribuímos ou de tão pequena, mínima, “nada” à vontade no local enorme a que julgamos pertence.
Vem esta lenga-lenga a propósito de quê? (acho que já nem eu sei .. risos ;)

Ah ..!
De uma recente cortesia da “Lua” que me proporciona nos últimos tempos .. uma excelente fase ;)
Obrigada *

sexta-feira, outubro 26, 2007

Why .. (?)




can't we all live in peace .. (II)



“A situação no Darfur, oeste do Sudão, é actualmente uma das maiores urgências humanitárias do mundo. Milhões de pessoas foram obrigadas a deixar suas casas e pelo menos 10 mil foram mortas no conflito que envolve forças governamentais e a milícia Janjaweed contra forças rebeldes do Movimento Armado de Liberação do Sudão e o Movimento Justiça e Igualdade.”


Burma .. Darfur .. e outros tantos pólos de conflito por esse mundo fora.
Pessoas sem casa, sem haveres, sem liberdade, sem vida ..
Crianças em sofrimento.
Naquele sofrimento atroz que vemos por cá nos filmes e que intimamente não desejamos ao nosso pior “inimigo” .. mesmo que ele nos tenha feito coisas que consideramos sempre horríveis ..
Ontem, num dos blogs que consulto diariamente e cuja escrita de seu autor admiro .. muito, comentei isto a propósito de um post:
O homem não é um ser inerentemente egoísta ou altruísta; tem o potencial para a destruição, mas também carrega o instrumental para a grandeza.”
Não é de minha autoria.
Nem sei se está bem reproduzido. É algo que me lembro de ter lido há bastante tempo atrás, a propósito de um outro estudo qualquer.
Hoje, não estou certa de dar razão ao seu autor.

O Homem tem de facto o potencial para a destruição.

Cultiva-o, esmera-o, acarinha-o como se de um filho se tratasse e pratica-o nas suas vertentes mais aterradoras. “o instrumental para a grandeza”? parece-me que foi bem arrumado naquele sótão que não visitamos há muito tempo com medo dos ninhos de ratos e das aranhas que entretanto tomaram conta do canto ..

Infelizmente ..

(Fotos daqui)

quinta-feira, outubro 25, 2007

Wise ..


.. a propósito de uma recente discussão sobre diferentes pontos de vista perante uma situação .. a propósito dos juízos de valor que levamos a vida a fazer esquecendo-nos por vezes de olhar as nossas atitudes .. a propósito do "olha para o que eu digo .." modo simples e confortável de desculpar aquelas pequenas coisas que "até não magoam ninguém .." a propósito ainda desta minha verdadeira fixação por tudo o que foi já escrito e dito .. correndo o risco de não me actualizar mas ainda assim correndo-o consciente que não encontrarei hoje pensamentos e letras tão simples, mas ao mesmo tempo tão carregados de significado, quanto os que já escritos foram ..

chamem-me "antiga" ;)

"The surest way to corrupt a youth is to instruct him to hold in higher esteem those who think alike, than those who think differently."

Friedrich Wilhelm Nietzsche (15.10.1844 – 25.08.1900)

(foto daqui)

quarta-feira, outubro 24, 2007

Crescendo (XII)

.. e a princesa chega a casa cansada, arrastando uma mochila que pesa definitivamente mais do que ela, mais a bolsa de cintura onde guarda o lanche da manhã e o telemóvel convenientemente desligado durante o período de aulas mas “..se eu precisar de ti, mummy ..” .. uma segurança.
Os trabalhos de casa são diários e imensos. De todas as disciplinas do dia. E mais os testes marcados um em cada dia da semana de outras tantas disciplinas que até há um mês não sabia sequer a que se referiam. Depois há as olimpíadas de ginástica que decorrem à hora do almoço, pelo que a criançada engole rápida e alegremente uma sanduíche e um sumo que não podem faltar à chamada para o campo. E as actividades de Área de Projecto (confesso dificuldade em entender para que serve ..) e EVT com a construção de cenários e de fantoches e mais personagens a troco de tudo e de nada.
..Ainda a entrada no clube de manualidades, coisa que gosta e a relaxa, mais ideias para isto e para aquilo, como fazer e que materiais comprar ..
E claro, o ATL onde o diligente Filipe (a primeira instituição revelou-se um desaire .. mais um, mas esta não podia estar a correr melhor) a aguarda de porta aberta para a sala de estudo e outros tantos ateliers engraçados para desanuviar .. assim haja tempo ..
Uff ..
Uma estabilidade precária, conseguida à custa de muita persistência e paciência maternas também .. uma directora de turma fantástica, mulher professora presente e preocupada no seio escolar, que se aproxima, que pergunta, que telefona com as novidades, que zela .. não deveriam ser todos assim? Deveriam. Felizmente à princesa calhou-lhe um .. dos raros.
Um núcleo de amigas que sem se conhecer ainda bem se apoiam e por vezes se confrontam..na tentativa de sobressair, de não perder a oportunidade da recente amiguinha, de se dar a conhecer como só as crianças o sabem fazer sem as amarras que nos prendem a nós ao politicamente correcto .. sinceras.
E mais uma lágrima porque se tomou partido .. e mais outra porque alguém não quis a sopa e chorou “ ..e eu não posso ver ninguém chorar mummy, tu sabes ..”

Sei .. sei bem o quão sensível, reconciliadora, apaziguadora, and so on ela é.
Mas sei também que as reacções ainda são muito fruto da tal estabilidade que se quer conquistar à força, que se quer sentir à força, que as lágrimas saem mais céleres porque estão amarradas à espera de .. reacções exageradas de quem sabendo que o tem usa o seu auto-controle de uma forma igualmente exagerada ..
Crescer custa, safa ..! .. repito

terça-feira, outubro 23, 2007

Memória (VIII)

I had a dream tonight dear .. they were playing football and calling me to join .. can you imagine .. me and football? .. a avó esboça um sorriso cansado, esconde a dores .. e estende-lhe a mão .. uma mão disforme na doença que lhe altera os contornos e a faz gemer de dor ..
They granny? Who are they? .. pergunta ela no terror de receber a resposta .. a resposta que lhe dirá que sim .. a avó está de novo de partida .. mas desta vez ..
Daddy, mummy and Vladimir, sweetie ..
Don’t you go granny .. !
e as lágrimas sufocadas na garganta e presas à beira dos olhos saltam aos pares .. lágrimas grossas de pura impotência .. impotência de menina mulher..

..But she went

E hoje, no aniversário do seu nascimento, conforta-me a ideia que haverá algures um campo relvado, um campo relvado com orlas de papoilas e cactos gordos .. aqueles que gostava de apanhar no Guincho para o chá contra a tosse no Inverno .. um campo relvado, num verde raiado de amarelo torrado, que sirva de palco a brincadeiras e jogos de quem se encontra .. de quem se espera .. com a certeza serena que o outro .. chegará.
Um campo idêntico aqueles por onde passeámos, onde aprendi para que serve determinada erva e porque cresce aqui e não além um determinado arbusto.. onde apanhei bichos de conta para os ver enrolar ou escutei do cimo das árvores o piar fino de crias em busca de atenção ..

..ou talvez uma praia. Como aquela onde passámos férias, apanhando conchas para fazer colares ou simplesmente para guardar em recordações que no Inverno nos sabiam a mar e a sal.
As rochas onde mirávamos, em silêncio, os pequenos caranguejos esperando que se enterrassem na areia, onde tirávamos as algas do mar para rapidamente as vermos mudar de cor .. devolvendo-as .. ou as outras onde se multiplicavam pequenos cardumes de coisas transparentes e rápidas .. peixes? Não querida .. são pequenos camarões ainda sem cor.

Memórias difusas, confusas, misturadas numa saudade que ainda me aperta o peito, sal de uma lágrima teimosa .. desejo sentido de não deixar partir.

segunda-feira, outubro 22, 2007

Memória (VII)

.. e se o horário era de manhã, sabia que contava com um grande copo de leite com café ao passar pela vivenda a avó. Um copo de plástico, cheio até cima com uma espuma deliciosa que lhe perlava o buço numa risota de “menina limpa a cara antes de entrar no liceu sim?” .. a avó já pronta para seguir viagem também, um beijo repenicado na face e um “tem um bom dia meu amor..até logo .. até logo” E ela seguia contente de mimo e quente do leite rua abaixo até aos grandes portões do liceu que frequentava, não esquecendo, quase nunca ;) de limpar o beiço do mimo branco.
.. e se o horário era de tarde à passagem pelo portão da casa sabia pela posição das cortinas se a avó já tinha chegado ou não. E nesse caso, seguia caminho para o liceu sabendo que no regresso haveria um biscoito ou um pão com manteiga e açúcar à sua espera .. que no Inverno era acompanhado por uma grande chávena de chocolate quente. Do verdadeiro. “Nada de pó que isso faz-me confusão” .. dizia a avó. Chocolate em barra, derretido no leite e batido com a varinha mágica. Um sabor que não voltou a sentir mesmo tentando reproduzir em sua casa anos mais tarde .. provavelmente era da varinha .. que era antiga.

.. tento evitar esta rua.
Esta mesma rua que me traz tantas recordações. E quando por algum motivo, a minha inconsciência a mandar no eu consciente? ..talvez .. lá passo, vejo ainda no mesmo passeio uma menina de sorriso aberto e boca suja, de copo de leite na mão, acenando em passos rápidos de quem está atrasada ..

E sorrio ..
..tenho de tentar encontrar aquela marca de varinhas mágicas ..

sexta-feira, outubro 19, 2007

Guess what .. ;)

I woke up remembering this .. :)

.. have a wonderful week-end if you please *

Raindrops on roses and whiskers on kittens
Bright copper kettles and warm woollen mittens
Brown paper packages tied up with string,
These are a few of my favorite things.
Cream coloured ponies and crisp apple strudel,
Door bells and sleigh bells and schnitzel with noodles
Wild geese that fly with the moon on their wings,
These are a few of my favorite things.

quinta-feira, outubro 18, 2007

Ainda ..


“ .. Cavaco Silva diz estar envergonhado com o número de pobres em Portugal .. números sobre a pobreza que colocam Portugal entre os mais pobres da União Europeia .. sozinho o Estado não consegue melhorar a situação .. “

Sozinho o Estado? E quem é o Estado se é que me é permitido perguntar?
Vamos lá a raciocinar com os dois pequenos mas hiperactivos neurónios que me concederam.
O estado – nós o povo?
O mesmo povo que responde na hora e em massa a apelos como aquele que me lembro há uns tempos atrás proveniente do responsável pela unidade pediátrica do Hospital de Santa Maria, apelo esse que visava a urgente e "desesperada" construção de uma nova ala cirúrgica, apelo respondido e dinheiro mais que necessário angariado em menos de 15 dias para o início das obras?
O estado .. nós o povo? Que contribuímos igualmente em massa, para, por exemplo, o Banco Alimentar contra a Fome a ponto de excedermos as mais optimistas expectativas dos seus organizadores? Mesmo que depois se oiçam à boca fechada pequenos comentários aqui e ali, provavelmente sem fundamento mas quem sabe (?), que a comida angariada, paga pelo estado (nós) enviada às vezes sabe-se lá com que dificuldade, apodrece em armazéns ali para os lados de Alcântara?
O estado .. os governantes?
Aqueles que elegemos para que nos defendam, nos tornem a existência mais pacífica e serena, que zelem para que o país onde vivemos e trabalhamos possa oferecer aos seus contribuintes condições de vida mínima e confortável, esses mesmos que depois se passeiam em carros topos de gama que custam mais do que aquilo que um pai de família modesta ganhará em dez anos de trabalho .. que auferem rendimentos de fazer inveja a muitos jogadores de futebol, para quem viver deixa de ser sinónimo de custo de vida?
O Estado .. que investe mal .. que prevê pior .. que inicia uma empreitada, por vezes totalmente desnecessária na lista de prioridades do país, com um custo definido e meses mais tarde as notícias falam de “derrapagens” .. de “desvios aos orçamentos iniciais” .. tudo com um carácter de naturalidade que levanta alguma "ondulação" para rapidamente se transformar em “praia-mar” ..
O estado .. entidade a quem quanto a mim, contribuinte possuidora de dois pequenos mas hiperactivos neurónios, bastaria alguma fiscalização .. algum investimento, alguma prioridade assumida com prazos “de entrega” .. para que o Senhor Presidente não viesse a público confessar-se .. “envergonhado”.
Envergonhada estou eu .. pelo que li.
Pelo que lhe "leio" nas entrelinhas numa "demissão" de responsabilidade .. num apelo disfarçado como se fosse eu, com o pouco que faço porque mais não posso, a responsável.
(foto daqui)

quarta-feira, outubro 17, 2007

..momentos de leitura

Pouco .. muito pouco tem sido o tempo livre por aqui .. mas tenho-me emocionado a acompanhar os diários na enfermaria da Cristina Ferreira de Almeida no Corta_Fitas .. uma escrita brilhante feita de experiência que adivinho dolorosa .. daqui partem sinceros desejos de rápidas melhoras *

Igualmente nota 20 a este texto de Hélder Robalo .. cor, vida, movimento, recordações gratas de uma tradição que só por esses sítios se vive, tudo com a mestria de quem sabe segurar a pena .. e é de facto, é tão difícil dizer adeus ..

Outro dos blogs que tento consultar diariamente, publica um percurso de vida em terras Africanas (continente pelo qual tenho uma verdadeira fixação .. sem nunca lá ter estado .. ainda) :) .. com um sentimento de realidade vivida que nos é transmitido logo nas primeiras linhas .. a ler as “Africa” na desconversa do mike

.. rica é a nossa blogosfera.

terça-feira, outubro 16, 2007

Falem-me da vida ..

.. são imensas.
Falo das notícias.
News como dizem os ingleses. Que por cá de “new” têm sempre muito pouco.
Por um lado o bcp que se arrisca a ser investigado .. coitado. Ainda me hão-de um dia explicar os senhores que percebem destas coisas porque raio são as instituições tratadas como se de seres humanos se falasse.
O fisco “Manuel”, esse malandro, acha que tudo pode. É no que dá criar crianças sem lhes impor limites por ténues e disfarçados que sejam. Tornam-se arrogantes e julgam-se “os melhores condutores do mundo” .. ;) Agora os contribuintes sem dívidas podem vir a ser responsabilizados pelas dívidas de terceiros que a si (eles) estejam directamente ligados (o médico, o construtor que lhes fez as obras em casa, and so on ..) "valha-nos" vivermos num país em que contribuintes sem dívidas é espécie em vias de extinção .. mais crítica que a do búfalo africano ..
Chegam entretanto novos certificados de aforro .. apela-se à poupança num país em que metade das famílias (generosa eu? .. talvez) contam os dias do mês que sobram ao orçamento, a par dos cêntimos ..
Há jovens presos por abusar de crianças .. deveriam ser presos? Pergunto eu, contribuinte AINDA sem dívidas, tipo “búfala”, mas cujos impostos servirão provavelmente para os alimentar (não .. não aos búfalos!), vestir e pagar ainda a fechadura da cela que não está em condições ..
Adiante ..
Há um artigo sobre o “regresso” de Santana .. não sei onde foi o senhor nem me interessa por aí além mas como sou uma pessoa educada, que tenha um calmo regresso é o que lhe desejo .. e ainda uma outra “caixa a bold” sobre violência juvenil em Setúbal .. só em Setúbal ? agora os generosos são eles .. os senhores que nos facultam as notícias.
..
Há uma importante notícia para nós lá em casa .. uma notícia que nos interessa muito mais que qualquer outra que nos entra “porta” dentro à hora do jantar .. uma notícia com a qual ficámos muito contentes as duas .. princess & me .. mas que provavelmente não interessará a muito mais público e certamente não fará picos de audiência ..
A senhora de cabelo branco e trajes rotos e velhos mas limpos, a senhora das rugas e olhos tristes que todos os dias nos esperava à saída da porta do prédio pelas 07h45 para receber o pão com queijo e a fruta com que a brindávamos num bom dia sorridente.. A senhora que nos abençoava com um “vão com Deus minhas filhas .. obrigada, muito obrigada” .. essa mesma que se tempo houvesse muitas histórias teria para contar.. Que arrastava uns papelões pela rua que lhe serviam provavelmente de cama e que era muitas vezes “assunto” de conversa num “quando começar a chover como é que ela vai fazer mummy .. como?” verbalizada numa angústia que eu não conseguia acalmar. Essa mesma. Essa simpática, triste e sofrida senhora, conseguiu este fim-de-semana ser aceite no lar da região. O mesmo lar onde a princesa almoça uma vez por mês num encontro de “avós e netos” promovido pelo ATL que frequenta.
Ficámos as duas muito felizes Dª Isaura.
Que possa aí viver com a calma, o conforto e a protecção que merece. Garanto-lhe que aqui deste lado está uma princesa .. aliviada :)
.. E quem sabe se num desses almoços não tem ela o privilégio de lhe ouvir uma história ..

Notícias? Falem-me da vida senhores .. !

segunda-feira, outubro 15, 2007

..always the sun









um privilégio .. foi como lhe chamei há pouco, não foi?



digam lá que não tenho razão .. :)

week end .. magic week-end :)






Guimarães .. cidade simpática, carregada de história, pedras antigas, pessoas curiosas .. passeio imenso, comovente, uma subida ao castelo, perguntas inúmeras de porquês e de ondes .. o querer saber, sentir, viver tudo o que se aprende com áureas de mágico, de imenso, de importante ..
Um tempo ameno, o sol que ainda brilha reflectido nas mesmas paredes da praça que me pautava a memória. Bem acolhidas, no que se chama o berço da nacionalidade, uma cidade limpa e bem estruturada .. fazendo jus ao nome que tem.


..fim de semana a não esquecer tão cedo .. com um adormecer e acordar em Viana, sobre o mar, o privilégio de ver um por de sol como não há por aqui ;) ou será que não temos normalmente tempo para o apreciar? .. e ainda tempo, ai o tempo .. para um beijo surpresa repenicado aos padrinhos *

Queremos voltar .. faltou ver tanta coisa!

sexta-feira, outubro 12, 2007

Berço ..


Vou redescobri-la com a princesa .. a linda cidade de Guimarães que há muito tempo me ficou na memória pela luz de verão na Praça de Santiago, uma luz irreal, parada nas paredes de pedra dos edifícios que a rodeiam .. numa calma esplanada, onde ao final de dia pedi uma garrafa de água e me entretive .. a ver quem passa ..

Preparada para as inevitáveis perguntas de quem começou a estudar a história do passado, prometo que segunda-feira .. conto tudo :)

Bom fim-de-semana *
(fotos daqui)

quinta-feira, outubro 11, 2007

Memória (VI)

Onde fica a “englanterra”, avó? ;) .. e a avó, corrigindo a pergunta, pegava no globo que outrora decorava a mesa de fotógrafo do avô, rodava-o lentamente a apontava um pequeno pedaço pintado de roxo com letras negras de nomes de terras que ela não conseguia ler.
Esta pergunta repetia-se pelo menos duas vezes por ano.
E duas vezes por ano a avó sorria e pacientemente voltava a mostrar-lhe. E duas vezes por ano a avó partia de avião em direcção a essa terra que parecia tão perto e pequena, mesmo cheia de nomes que ela ainda não conseguia ler. E ela contava os dias de ausência, rabiscava as letras dos nomes imperceptíveis num papel e desenhava um grande avião de volta a casa.
Um avião de janelas enormes, maiores que as asas, e numa delas uma avó igual à sua acenando de saudade.
Saudade enxotada no abraço apertado à chegada ao aeroporto, a avó sempre muito agasalhada a fazer ver o frio de onde tinha acabado de sair, sacos e malas e mais malas e outros tantos sacos em cores garridas e com nomes tão estranhos e ilegíveis como os do globo. Um rosário de lembranças, das idas aos saldos, dos armazéns de brinquedos, bonecas que falam e peluches do tamanho dela. Coisas que por cá não havia, ou se havia, ela não sabia. Preciosidades. E histórias. Sempre histórias dos locais visitados, fotografias e postais, mais postais ainda cheios de cores diferentes das nossas. O render da guarda, e aquele relógio enorme com nome de pessoa. O crescimento dos primos, como estavam os tios, a neve, tanta neve, sempre neve. As luzes e a falta de sol. E mais histórias ainda de tudo e de nada, de um país que sendo seu também, não conhecia mas adivinhava e podia descrever tal a minúcia dos relatos.
E no ano seguinte, por mais duas vezes, a avó voltaria a partir e ela adormecendo a saudade e lendo já os nomes estranhos, adivinhando o percurso e o nome da loja, sonhava com o dia em que partindo também chegasse ao aeroporto envolta em agasalhos do frio que tinha acabado de sentir. E no abraço do reencontro a saudade enxotada tantas vezes .. a mesma que agora, por estranho que pareça, amadurecida na ausência prolongada daquele mesmo abraço, se gruda e pespega em memórias rápidas .. sentidas.

Saudade ..

quarta-feira, outubro 10, 2007

Prize .. again ;)

Caro visitante, que procurava obras de Esther de Lemos (escritora incomparável .. e excelente professora) .. e por acaso veio aqui parar com o número 4.000 lembre-se de contactar amanhã a recepção deste diário para o levantamento do prémio que lhe compete ;)

..reparei agora .. 4.000 visitas é "obra" .. obra da vossa paciência :)

Obrigada *

Vasculhando o Baú .. (IV)

Folha branca imaculada
Vontade calada
Desenho de letras
Caneta pousada
Teimosa
Não escreve
Se escreve não rima
Não mostra que sabe
E do que é capaz
Há quem teime, em ternura
Que sim
Que sei
O dom? nenhum
E quem teima em ternura
Teima de novo, docemente
E só mais uma vez
Anda .. vá lá
E a letra sai solta
Primeiro relutante
Começo difícil
Aparo no papel
E pronta a borracha
..sorriso aqui
..pintura além
Letras, palavras
Bem arrumadas
Sons e imagens
E por fim ..
.. quem teima, sorri
E descansa, provando
Que sim
.. sabia.


PS_ brincadeira com que um dia, um dia há “milhões” de anos atrás, brindei quem comigo insistiu que sim .. ;)

terça-feira, outubro 09, 2007

Prize .. with no price ;)

O Prémio Blog Solidário foi criado por "Bohemia Mar" que o define assim:
Existen muchos premios y galardones con prestigio y solera a lo largo del planeta que se otorgan a personas que hayan resaltado por alguna técnica o actividad. Siguiendo la moda de los premios blogger en la blogosfera, he tenido la idea de hacer uno dedicado a los blogs que destacan o han destacado en alguna ocasión por su solidaridad con los demás, tanto a nivel general como individual. Creo que se merecen una especial distinción y debemos demostrarles nuestro agradecimiento y cariño en este mundo en el que corre mucho egoísmo e indiferencia. Además, gracias a estos blogs solidarios podemos promocionar una vez más la blogosfera.
Las condiciones para otorgarlo son las siguientes:
1º Escribir un post mostrando el PREMIO y citar el nombre del blog que te lo regala y enlazarlo al post que te nombra. (De esta manera se podrá seguir la cadena).2º Elegir un mínimo de 7 blogs que creas que se han destacado alguna vez por ayudar, apoyar y compartir. Poner sus nombres y los enlaces a ellos. (Avisarles).3º Opcional. Exhibir el PREMIO con orgullo en tu blog haciendo enlace al post que escribes sobre él y lo otorgas a otros.

Blog solidário diz o Helder Robalo lá pelos seus Pensamentos sobre as escritas aqui desta “diarista” de serviço ;) Honra-me tal distinção de quem me tem lido com atenção .. a quem tenho lido primeiro com alguma curiosidade, depois como verdadeira leitura diária e não dispensável. Hélder Robalo é para mim um homem preocupado com o que o rodeia, analista por vezes cru e completamente racional sobre o que se passa no mundo, na nossa sociedade, que raramente “deixa passar em branco” o que quer que seja.
Já lhe li textos verdadeiramente apelativos à solidariedade, enquanto preocupação com o bem estar alheio, e acredito que a sua postura passe das palavras à acção.
Honra-me portanto, que no meio dos sete blogs por ele escolhidos, apareça o OnceInaWhile.
Obrigada por isso Hélder ..

Podia agora contar-vos histórias e não “estórias” sobre acções de solidariedade em que participo (uma delas, posso adiantar, com resultados completamente desastrosos, como já escrevi algures por aqui) mas vou optar por assumir que sim, faço um pouco.
Porque acredito que um pouco daqui e outro daí façam a grande diferença entre fazer pouco .. e não fazer rigorosamente nada.

A coisa fica mais difícil quando tento cumprir a parte final das indicações que me são dadas .. há dois ou três blogs que gostaria de nomear mas que já estão na “calha” .. e depois confesso que as minhas leituras por aqui não são tão vastas quanto o elegível a uma bloguer que se preze ;) .. portanto, deixo o convite no ar a quem passa e lê .. sejam solidários *

segunda-feira, outubro 08, 2007

Is this for real?

Lembro-me de ser ainda criança menina quando passou pela primeira vez na televisão.
Lembro-me que os meus Pais não me deixavam ver os episódios (seis, salvo erro .. ) e que eu me sentava em silêncio no hall de entrada da nossa casa, em camisa de dormir, e via tudo pelo reflexo que o orgulhoso aparelho de televisão a preto e branco projectava nos vidrinhos da porta da sala de estar.
Lembro-me de ter chorado (muito), de ter tido diversos pesadelos que em outras nuances me acompanharam até tarde na adolescência, de ter procurado activamente saber tudo como se tinha passado, de ser olhada de lado, anos mais tarde na biblioteca do Instituto quando requisitava livros sobre o tema. De o ter aprofundado para mais me escandalizar, para mais me horrorizar, controlando á medida que crescia as lágrimas que o impacto de tal realidade me tinha provocado .. em menina.

Falo do “Holocausto” .. falo das recentes notícias sobre um qualquer grupo de néscios que assaltou e vandalizou um cemitério, falo dos auto intitulados “neo-nazis” e não entendo como é que alguém que dispõe das informações que todos dispomos sobre este período negro da história dos homens se pode auto intitular o que quer que seja nesta área.
Proponho: uma visita aos campos de concentração. Uma pequena e guiada visita à câmara dos horrores, passando por uma experiência in locco dentro de um forno de gás, por exemplo .. uma experiência de "faz de conta" que para jovens de 16 anos pode ser que surta efeito.

E acabo por me espantar ainda com a pouca mediatização de uma situação destas. Com as opiniões (e principalmente a total ausência de ..), de quem escreve e opina politica e socialmente no nosso país. Pessoas, por exemplo, que “bradaram aos céus” aquando da incursão num qualquer milheiral (similar a coisa não é?) e que agora se calam ou, pior, desvalorizam atitudes destas com todas as conotações bem conhecidas. Ou pelo menos têm a obrigação de as conhecer bem .. são todos mais velhos do que eu e não acredito que, como eu, tenham “sido obrigados” a tomar conhecimento desta realidade .. às escondidas.

Triste mundo .. aquele que rapidamente olvida as suas memórias .. principalmente as piores.

quinta-feira, outubro 04, 2007

Roots .. :)








Agradável surpresa hoje na caixa de mail .. para "matares saudades das raízes" escreve-me quem me conhece bem .. (Obrigada querida CVL *) .. aqui partilho, mas nem pensem que vos conto quantas foram as vezes que os meus "pobres joelhos" ficaram naquelas rochas ;)





Tenham um excelente fim-de-semana ;)



quarta-feira, outubro 03, 2007

Why .. (?)



can´t we all live in peace ... (?)




É um texto enorme, cheio de referências, bibliografia, extenso e extensivo mas não monótono .. e foi a forma que encontrei de tentar perceber que raio se passa ali .. não se passa nada .. é o ser humano no seu "melhor" .. ou como dizia há tempos uma amiga na caixa de comentários .. a "humana idade" para que o mundo cresça .. humano .. ainda não foi atingida ..

(foto daqui)

Para quem tiver a paciência que eu tive .. e a curiosidade talvez .. aqui fica.

terça-feira, outubro 02, 2007

Crescendo (XI)

As aulas de formação cívica ensinam acima de tudo a lidar com a diferença.
É o grande mote do programa deste ano, faz-me lembrar um “todos diferentes, todos iguais” de há uns tempos largos atrás, e interessada folheio o pequeno livro da princesa para me aperceber de como vai ser a minha filha ensinada a lidar .. com a diferença.

(..)
A pequena Joana tem 10 anos e anda no terceiro ano do primeiro ciclo. É uma menina muito maior que eu mummy (como se fosse preciso muito, sorrio .. ) e tem uma voz que da primeira vez que falou para mim, quase me assustei. A pequena grande Joana frequenta o ATL da princesa três tardes por semana. Apanha “boleia” na mesma carrinha e quando chega leva muito tempo a almoçar (quase tanto como eu mummy .. outro sorriso) e de seguida, como todos, senta-se a fazer os trabalhos de casa. Raramente consegue fazê-los sozinha. Não percebe as instruções que lhe são dadas, e repete mecanicamente tudo o que ouve. “Aqui um rectângulo, vês?” um rectângulo .. um rectângulo .. um rectângulo ..
Numa tarde da semana passada a Joana pegou no braço da princesa de puxou-a para perto dela. Colocou-lhe um lápis na mão e mostrou-lhe o que tinha para fazer. Eram figuras geométricas mummy .. daquelas mais simples, quadrado, rectângulo, circulo .. Ao principio não percebi o que ela queria, que eu as fizesse? Depois lembrei-me do primo. Pus-lhe o lápis na mão e com a minha mão por cima ensinei-a a desenhá-los. Começou a rir quando me lembrei de acrescentar uns olhinhos e uma boca a sorrir dentro das figuras. Quis fazer igual e desenhou imensos pela folha toda, todos a sorrir e com olhinhos pequenos que pareciam piscar.
Ficamos nisto a tarde toda.
A Joana estava feliz mãe, foi o que disse a monitora .. mas eu trouxe os trabalhos para fazer em casa (rimos as duas .. )

(…)
Continuo curiosa em saber como vai ser a minha filha ensinada a lidar com outras .. outras diferenças.

segunda-feira, outubro 01, 2007

Changes .. (II)

E assim LB fecha as suas Outras Notas .. esperando que entre o anúncio de fim de caminho e o recomeço quem sabe em outra direcção, passe o tempo necessário para .. ficam os votos dos maiores sucessos .. e um até breve :)
(editado e corrigido .. as minhas desculpas pela "má interpretação" do que havia lido há uns meses atrás .. ) :)

Por outro lado, um dos blogs de que me confesso leitora assídua e até por vezes admiradora da forma crua e nua como são colocadas as opiniões, análises e considerações, vai para fora .. ou melhor Miguel Castelo Branco ausenta-se “prometendo” na medida do que lhe for possível, manter a escrita .. fico à espera que assim o consiga e desejo-lhe votos de sucesso ao que se propõe!

A minha “blogueuse” (isto vale para feminino de “blogueur” ou nem por isso?) .. bom .. a minha escritora favorita neste mundo virtual, Miss Pearls avisa-nos de uma mudança para a qual lhe desejo toda a serenidade possível (a mesma que me esforcei por alcançar quando me mudei no principio deste ano ..) .. um Abraço Caríssima .. que tudo corra pelo melhor e que possamos continuar a lê-la mesmo entre caixotes e coisas por arrumar ;)

Tenham uma excelente semana *