sexta-feira, agosto 31, 2007

wishFul thinking

“Não nos libertamos de um hábito, atirando-o pela janela; é preciso fazê-lo descer a escada, degrau a degrau”
Mark Twain – 1835/1910

Já sei!
Escusam de enrugar a testa num “lá vem esta com as citações do século passado” .. ! Já vos confessei há muito a minha verdadeira fixação pelas “produções” deste tempo, portanto .. estou desculpada? .. risos ..

E também escusam de extrapolar sobre que quer isto dizer agora, eu conto:
Estou seriamente, muito seriamente, a pensar em .. deixar de fumar!

;)

Excelente fim-de-semana *

quinta-feira, agosto 30, 2007

Mum's stuff .. ;)

Mummy .. tenho muita, muita, muita, saudade tua .. diz-me a princesa ao telefone ao mesmo tempo que me conta como conseguiu descer na montanha russa dentro de água de um qualquer parque aquático a Sul .. como nasceram já os cachorrinhos daquela cadelita que vai todas as noites pedir comida à porta de casa do Pai, o jogo que ganhou ao irmão no computador já perto da meia noite (valeu-lhe o cansaço do parceiro quase que aposto ..) e o telemóvel que "já não tem saldo mummy .. carregas de novo ?" ..
Muita, muita, muita saudade e eu .. que me estoiro por aqui em solicitações que acho consigo resolver, tem de ser todas de uma vez Cristo? Estão apostados em que me esqueça rapidamente das férias é? .. penso, que eu sim tenho muita mais saudade que isso .. as ausências este ano têm sido mais que muitas, a coisa tem de ser gradual para quem não está habituado a viver sem o seu "norte" .. bla bla bla .. e que já chega!
Acabou!
Quero a minha rotina de volta s.f.f. !!
PS_ atrevam-se a gozar-me .. ;)

quarta-feira, agosto 29, 2007

Memória (IV)

As pequenas cartas espalhadas na mesa e viradas para baixo. Da caixa de onde saíram está ainda o cheiro a louro e alfazema que habitava a casa da avó por aquelas alturas. Um cheiro adocicado que se prendia às roupas, à cama .. ao ar.
As pequenas cartas têm as primeiras figuras conhecidas das personagens de Walt Disney, actrizes e actores do velho cinema, paisagens de pastores guardando rebanhos ou simples representações de folhas e flores. Conhece-as a todas de cor. Sabe as estórias que a avó lhe contava sobre cada conjunto, também de cor. Os cantos estão gastos, amarelecidos .. de tanto manusear em arrumos ou paciências solitárias. Lembra-se de ter casado o lobo com o carneiro numa negação de predador presa ainda sem perceber que diabo é a cadeia alimentar .. simplesmente por achar que aquele bicho feio e preto não tinha culpa de ter nascido assim e que para brincadeiras felizes lhe faria bem um companheiro branco e lanudo. Lembra-se da gargalhada da avó quando lhe expôs a lógica não em busca de aprovação mas porque assim entendia que deveria ser. Ugly things closed to beauty ones, dear? Perguntara-lhe na altura de sorriso nos lábios .. e ela ponderou a pergunta com ar ausente de menina pequena e respondera “it is the fair way granny..” .. o afago nos cabelos revoltos e compridos e a pressão no ombro deram-lhe a entender que não .. mesmo a avó não pensava de outra forma. Mesmo com a interrogação na testa de quem acha estranho ela menina pensar como ela adulta.

As pequenas cartas espalhadas sobre a mesa agora todas viradas para cima .. e o pastor sorri-lhe do alto do monte verde com o rebanho aos seus pés, monte abaixo, as árvores parecem ondular numa brisa suave que cheira a eucalipto, e aquela nuvem branca e serena num céu imaculado e azul lembra-lhe outros jogos .. jogos de vista, deitada na relva, braços cruzados atrás da cabeça, a avó sentada numa manta tricotando e a pergunta “ is there a … ?” .. deixando-a completar a figura, antecipando a descrição da coisa mais inverosímil à primeira mas perfectly there, i can see..
As cartas .. as plantas, árvores e folhas representadas numa pintura perfeita em tons suaves do verde ao laranja, passando pelo amarelo torrado (não há nenhum lápis com esta cor, pensava tentando reproduzir ..), o castanho terra e o outro mais claro que se mistura num vermelho ocre para dar a entender que o desenho se passa no Outono ..recorda a apanha das folhas no jardim da casa da avó .. pendurá-las em ráfia na cozinha ou guardá-las no meio das capas dos livros à espera .. waiting for granny ? .. they’ll get older, assegurava-lhe ..

..outra recordação que lhe ocupa a mente agora .. em viagens de carro, noite escura, o pai gostava de conduzir à noite e era mais fácil acomodar a prole de quatro filhos dorminhocos .. ela .. a única que se mantinha acordada a olhar o céu estrelado e a lua avermelhada adivinhando um dia seguinte de calor a pensar que não, não tinha medo de nada, a avó ensinara-lhe que as coisas más só acontecem na vida quando não são pensadas .. o factor surpresa controlado na ínfima possibilidade de.. e os cenários, os filmes e as personagens que constituía de acontecimentos menos bons a passarem rápidos na sua mente de quinze anos de idade, sorriso nos lábios e um “you can run but you can’t hide .. “ pensei-te!

As pequenas cartas agora empilhadas, conjuntos coerentes e um grosso elástico, dos antigos, à volta de cada um, de volta à caixa de madeira onde sempre eram guardados com cheiro a louro .. e alfazema.

terça-feira, agosto 28, 2007

As if ..

"Daria tudo que sei, pela metade do que ignoro".
René Descartes (1596/1650)

Even then Professor .. you ought to be missing the other half ..

World Press Photo

Vou todos os anos.
Compro o livro primeiro, analiso á luz ignorante que sou e sensitiva que sou .. e depois vou ver a exposição. Normalmente no CCB este ano com honras de museu de luz .. luz, cor, enquadramento, fotografia.
O mundo ali retratado, salvo algumas excepções nas quais ressalto a excelente lente e a alma que Rodrigo Cabrita coloca nos seus trabalhos, não é aquele ao qual me orgulharia pertencer.
Não, não é.
O dia estava de sol e calor, o almoço tinha sido excelente, a companhia maravilhosa, mas .. gelei na primeira antecâmara da exposição.
Guerra
Guerrilha
Fome, intempéries, mais guerra, mais fome .. miséria.
Corpos incompletos, esgares de dor, pânico e desespero, castigo ..
Lágrimas .. não aquelas que eu choro em períodos menos bons, ou perante uma emoção mais forte ou até (riam-se, vá ..!) num filme lamecha que me deixa um nó na garganta .. lágrimas ácidas, redondas, olhos vazios de vida em vida .. crianças meninas de corpo com olhos de mulher adulta, garotos desalentados com olhares de homem sofrido. Pais impotentes no amenizar da realidade das suas proles, guerreiros, soldados, sangue, destruição .. morte.
Está ali retratado, muito bem retratado o mundo em que eu vivo.
A realidade na qual acredito, que me rodeia, não interessa se a dez ou a milhares de quilómetros de distância. É assim que vivem e morrem os seres humanos que por sorte ou azar partilham este espaço redondo comigo.
Assim. No limite de um fôlego que por último não volta a fazer arfar um peito. Sem vida.

Uma das últimas fotografias da exposição, quando já tinha desistido de disfarçar as lágrimas, retrata um cavalo numa planície completamente ardida, em busca de comida. Um pequeno tufo ainda verde de um qualquer arbusto serve-lhe de refeição tardia e não lhe acalma a fome.. bicho imponente, teimoso na procura, não rendido à realidade que o circunda, devora o pequeno tufo verde provavelmente sem entender porque é o único .. ou porque se mantém verde.
Consegui sorrir da simplicidade.
Esperança?

segunda-feira, agosto 27, 2007

Foram as férias .. senhor ;)

Foram Férias, Senhor ..

Foram férias, períodos desejados e apetecidos .. sonhados.
Foram férias cheias, programas de dolce fare niente cumpridos, outros preteridos, foi a chegada de carro carregado, a brincadeira do escolhe cama, arruma roupa, atesta frigorifico e despensa que não vou mais de duas vezes ao supermercado! Foi a chegada da mana e do “meu” british boy num abraço apertado num aeroporto cheio de nacionalidades e línguas diferentes, a outra mana, o cunhado e sobrinho, casa cheia, risos e galhofas, poucas fitas e muita diversão.
A princesa em alegre responsabilidade de prima mais velha, num “are you okay?” perante o trambolhão do primo mais velho, ou rápida no gatilho quando o mais novo atira a chucha para metros de distância que não se julgará possível .. ;)
Foram os castelos de areia (as minhas unhas …!) as piscinas que o mar rapidamente se encarrega de destruir, os banhos demorados numa água tão quente quanto .. os almoços na areia ou na esplanada, a sensação de que dia tem, tem de facto, muitas mais horas que aquelas que por norma nos concedemos. Foram os jogos nocturnos num jardim agradável, onde a piscina espelha o Luar não se cansando de o atenuar com pequenas ondulações vindas de uma brisa quente que não chega a despentear cabelos .. jogos de cartas, de palavras .. risos perante o “what about ?” dito em tom solene do alto de uns pequenos três anos de idade ..
Foi outro cansaço, o levantar cedo da “dona da casa” para o pão estaladiço na padaria da aldeia e o café tomado quando todos ainda dormem apreciando o ar fresco (só a essa hora ..) e porque não admiti-lo .. o único cigarro sossegado do dia (risos) ..
Foram férias. Cheias, com um tempo que tenho de me lembrar de agradecer a S. Pedro ;) .. que passaram rápidas sim mas gozadas, vividas ..

Depois? depois foram as despedidas .. o adeus entre lágrimas teimosas no aeroporto (ainda há dias parecia que ali tínhamos estado todos num agradável e feliz reencontro) .. “i’ll be back Tia” num conforto que deveria partir de mim :), mais abraços e despedidas na estação de autocarros para os que regressavam a Lisboa, o fazer as malas onde não cabe nada do que havíamos levado arrumado e direitinho, desfaz as camas e fecha a casa .. a despedida da praia .. até para o ano, até para o ano .. !

Viagem solitária até Lisboa .. a princesa em descarado prolongar de férias merecidas com o Pai ansioso por partilhar também .. e hoje, back to reality .. feliz :)

Foram as férias..

Promises .. :)

Prometido é devido!

E independentemente dos comentários mais afoitos no post anterior .. posso dizer que tive até hoje poucas experiências tão fabulosas como a nossa viagem de heli .. ;) (ora tome lá Sr. LB pela loucura de que me acusa ..) e depois .. ouvir a princesa verbalizar que esta foi a melhor prenda de aniversário que já teve .. compensa o nervoso miudinho que senti e o aperto no estômago quando percebi que o heli .. era mais baixo que eu ! (risos) ..

Obrigada Worthy !
Valeu .. !

quarta-feira, agosto 01, 2007

Holidays ? .. indeed

Já todos repararam, que eu sei, .. no Worthy aqui mais à direita .. mas hoje apetece-me dedicar-lhe a devida publicidade.
Como aqui escrevi há tempos largos, por outra razão definitivamente menos agradável, isto é o meu blog .. portanto posso escrever o que eu quiser hein? Verdade? ah sensação de liberdade.. (risos)

Mas .. escrevia, hoje apetece-me fazer a merecida publicidade. E porquê?
Em primeiro lugar (“imparcial”? sim .. sim) porque é um projecto arrojado, que conta com a colaboração de uma querida e grande amiga. Dessas mesmo.
Em segundo, porque num mundo "sem" maravilhas à excepção das sete que nos fizeram aplaudir no outro dia (risos), é grato que alguém com as capacidades criativas que caracterizam as suas autoras, se dedique a .. como dizer? abrilhantar-nos a existência? Surpreender-nos?
É .. acho que é isso mesmo.
Portanto meus caros .. se vos falta aquela ideia para proporcionar a alguém ou porque não … (“umbiguista”? também.. ;) a vós mesmos um dia diferente, um momento diferente, algo que se recorde mais tarde de sorriso tolo nos lábios (são os melhores, os sorrisos tolos, fiquem sabendo) .. enfim .. ou quem sabe para os mais “independentes” que reconheçam, no íntimo claro, a necessidade de uma “pequena ajuda” para aquela prenda que .. não deixem de consultar, visitar, viver e deliciar tudo o que o “meu” Worthy (mania minha de baptizar coisas alheias), vos oferece.

Enjoy *

PS_ eu .. “inaugurante”? Também .. se é que o termo existe, vou baptizar-nos (princess&me .. felinos não admitidos) num voo de helicóptero que espero rasante .. ;) no que adivinho ser o princípio de um “perfeito” período de gozo de férias (coisa pomposa esta .. ;) .. mas prometo que dia 27 .. conto tudo.
Até lá .. :)