quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Detailed

"Hemingway had initially planned to use Santiago's story, which became The Old Man and the Sea, as part of a larger work, which he referred to as "The Sea Book." Some aspects of it did appear in the posthumously published Islands in the Stream. The positive feedback he received for On the Blue Water (Esquire, April 1936) led him to rewrite it as an independent work. "

Sometimes .. the larger work is the piece of work itself .. ! ;) which led us back to the importance of the detail, the small part, often disrespected ..

Lost in details? you may ask ..
No.
Acknowledging their shadow and their substance .. nothing more .. nothing less.

Coerências

Que a função de mãe seja incompatível com a de assassina .. ela entendia (o princípio de “dar a vida por” não cabe no “tirar a vida a” .. ) que o seja igualmente incompatível com mais meia dúzia de profissões também podia concordar se bem que com algumas ressalvas .. o “lema” do “children need examples more than critics” é passível de aplicação ao “olha para o que eu digo e não para o que eu faço” se bem gerido e águas bem separadas ..

Que a função de assessora, com horário das 08h30 às 18h30 não fosse compatível com “mãe doméstica” (nunca soube muito bem o que é que isto quereria dizer mas sentiu levemente que era assim que encaravam as mulheres que os esperavam em casa) .. enfureceu-a.

E, por aquelas alturas, eram poucas as coisas capazes de a enfurecer.
De lhe fazer apetecer pegar na mala, bater com a porta e “despir” a camisola.
De lhe retirar o bom humor e a calma com que lidava com as adversidades e picos de “loucura”.

Àqueles que o conseguiram, deu os parabéns.
E .. rapidamente, sem drama, equacionou a mudança de funções a nível profissional. Se há “coisa” da qual nunca se demitiria.. era do seu "papel" de mãe.
Engraçado como não se fez esperar a reacção de quem tinha de reagir. Surpreendidos, apresentam contrapartidas, desculpas atabalhoadas e não sentidas, ditos por não ditos, voltas atrás em decisões tomadas e a caminho de ser implementadas.
A conclusão? uma profunda desilusão. E uma falta de vontade. E sem vontade meus caros que raio pode vir a correr bem ?
:)

terça-feira, fevereiro 27, 2007

Esther de Lemos


ESTHER DE LEMOS[Bombarral, 1929]

Ficcionista, ensaísta e tradutora, licenciou-se em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa, onde depois viria a leccionar até 1974. Com o seu segundo romance, Rapariga, publicado em 1949, demonstra estar atenta aos problemas da juventude intelectual. Esther de Lemos contribui sem dúvida para a divulgação da literatura destinada aos mais jovens, ora através de uma apurada técnica narrativa no domínio da efabulação, ora pelas obras que traduziu dando a conhecer autores e histórias já consagrados na história da literatura. Associar a actividade de docente e de escritora depreende-se igualmente da bibliografia consagrada ao estudo e ensaio onde mais uma vez se manifestam as intenções pedagógicas da autora.

Ontem enquanto estudávamos as “palavras difíceis” (existe isto?) para o ditado de hoje, um texto imenso, cheio de imagens, uma aventura à beira de um rio, um mocinho pastor e seu rebanho de ovelhas brancas e lanudas, comecei a sentir um “formigueiro” de reconhecimento daquela escrita, daquela imagem, daquele som .. Ao deparar-me com a frase “ e ao ouvir os chocalhos das ovelhas, mochos e gatos-bravos, sapos e doninhas saudavam o pastor conforme sabiam: gorjeando, coaxando .. Bons dias pastor! Bom dia!” ..
Sorri, e parei de ler “Mãe? “ .. Rapidamente percorri o texto até ao fim na busca da confirmação daquela suspeita, .. Era verdade. A Senhora das Letras responsável em parte, em grande parte, pelo meu grande gosto pelas mesmas, estava ali. Em itálico, no final do texto, ligeiramente à direita do papel .. Esther de Lemos

Que esteja bem Professora.
Obrigada.

segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Green Ey'd

"O, beware, my lord of jealousy;
It is the green-ey'd monster which doth mock
The meat it feeds on."

From Othello (Shakespeare Quotes)

Iago alimenta o monstro de olho verde que vive em Othello, enquanto que, ironicamente, o avisa sobre os malefícios ciúme.
Um dos maiores vilões Shakesperianos, Iago, engendra uma conspiração para afastar de Othello, Cassio – o seu braço direito, reclamando para si tal posição.
Como ? promovendo uma luta entre Cassio e Roderigo o que leva Othello a demitir Cassio imediatamente.

Não contente (ainda) com o resultado insinua em Desdemona (mulher de Othello) a defesa pela causa de Cassio levando-a a abordar seu marido com um pedido de clemência.
Mais tarde, sugere a Othello que tal pedido se deve, porventura, a um envolvimento amoroso entre Desdemona e Cassio.
O resultado deste ciúme, desta trama bem urdida, terá consequências desastrosas em todos os envolvidos.


Que os nossos passos, as nossas atitudes e as nossas posturas na vida nos afastem sempre de “monstros do olho verde” :) dos nossos .. e dos dos outros.

Isto ..

é um diário.
Inconsequente.
Aleatório nos temas.
As opiniões expressas são as minhas e valem o que valem. Muito para quem as partilha. Nada para quem não se identifica com elas.

Este blog é um pequeno diário, construído com pequenos e inconsequentes apontamentos e passagens do meu dia a dia. Relatos em cima do acontecimento .. ou nem por isso.
Isto é o meu espaço e eu escrevo nele o que quiser. O que me apetecer. Falo do tempo, da princesa, do gato, da casa, comento notícias, ou simplesmente .. nada.
Não tem carácter político, nem social, independentemente de poder, em qualquer altura que para aí esteja virada, comentar o social e o político. Não é intimo (do tipo relato de experiências mais "calientes") nem tão pouco localizado em determinado tempo e local.
Ao fim e ao cabo .. de pouco interesse ;)

Explicação dada fica um pedido: aos ilustres e "ilustras" que por artes mágicas descobriram o meu endereço de email e me brindaram este fim de semana com mensagens "críticas" sobre o conteúdo deste blog: aprendam a escrever.
Se há coisa que prezo é a boa escrita, com substância, a crítica .. construtiva.
Mas .. primem, por favor, por alguma inteligência: sou uma pessoa exigente com quem escreve o que "tenho" de ler .. :)

Boa semana *

sexta-feira, fevereiro 23, 2007

:)

Este "once" hoje está para lá de "twice" mas como acabei de receber uma boa notícia que se prende com a vida de uma grande amiga .. a maior e a melhor que tenho, nada melhor que registá-la no meu pequeno diário .. e assim mesmo .. à laia de homenagem :)
A ti .. pela coragem, pela força que demonstraste, os meus parabéns! Por teres conseguido aquilo a que te propuseste .. a minha admiração! E, pela quase certeza que tenho (tu sabes que não sou de certezas) de que outras coisas acontecerão agora .. umas novas .. outras revisitadas, é com muita alegria que partilho este momento :)
Há alturas em que tudo acontece "porque sim" outras em que temos de enfrentar os nossos "medos", lutar por e arriscar. Mesmo que .. sem certezas ;)
Porque estás bem e feliz .. sinto-me bem e feliz
Beijo meigo

A ti ..

(...) " Rios que vão dar ao mar
Deixem meus olhos secar
Águas das fontes calai
Ó ribeiras chorai
Que eu não volto a cantar" (...)

Zeca Afonso (Balada de Outono)

Nós .. continuamos a cantar por ti ..

Retratos

Local: estação CP Gare do Oriente
Hora: 17h00
Finalidade: aguardar a princesa e a avó

Poupo-vos aos detalhes do reencontro ;) adianto simplesmente que sinto o meu “pedaço de vida”, de volta ..

Sentada num dos bancos de madeira da estação, meio distraída com o que me rodeia (quem me mandou chegar com 40 minutos de antecedência) pego no livro que ando a ler e concentro-me .. por pouco tempo.
Ao meu lado, em outro banco, uma mãe com duas crianças pequenas, tenta, arduamente, que comam. O garoto tem um yogurte líquido na mão e a pequenita uma sandes e um pacote de leite. Na difícil tarefa de fazer com que engulam tudo antes do comboio chegar (percebi que iam para Tomar) espantei-me com o porquê da pressa, que só percebi no final. “Despacha-te! Depressa” .. e a garota lá tentava dentar o pão em pedaços maiores que a sua boca e misturar tudo com grandes golos de leite. Lembrei-me de mim, quando andava no colégio e a monitora tinha a "ousadia" de me obrigar ao mesmo - não era bonito o resultado que me abstenho de relatar ..

Ainda metade da sandes para comer, ainda o pacote de leite na mão, sentada no banco ao lado da mãe, olhos em alvo suplicantes e lágrimas já a cair pela cara .. enquanto o irmão se equilibrava qual artista de circo na beira do passeio da estação .. essa mesmo, aquela junto à linha .. para meu enervamento.
A dois minutos da chegada do comboio que os levaria ao destino, começam os conselhos da mãe, para que não saia de perto da irmã, não lhe largue a mão e, chegados a Tomar, ajudar com os sacos e ficar à espera de quem os iria buscar.
Percebi a pressa, os nervos, talvez as lágrimas .. aquelas crianças iam viajar sozinhas.
Sozinhas até Tomar. E eram pequenas. Mais pequenas que a minha princesa.

Prometi a mim mesma que nunca mais chegaria com 40 minutos de antecedência…

quinta-feira, fevereiro 22, 2007

gloves, shoes and pearls..

"That is all," she said, looking at the fishmonger's. "That is all," she repeated, pausing for a moment at the window of a glove shop where, before the War, you could buy almost perfect gloves. And her old Uncle William used to say a lady is known by her shoes and her gloves. He had turned on his bed one morning in the middle of the War. He had said, "I have had enough." Gloves and shoes; she had a passion for gloves; but her own daughter, her Elizabeth, cared not a straw for either of them.”

(Virginia Wolf in Mrs. Dalloway – 1925)

Is she one of your favourites?
Indeed..
How come?
For the private joke, the intimacy, the secret knowing of how to be ..
?
Never mind .. :)

Será ?

A Algarve Film Commission pretende captar grandes produções cinematográficas. Em Sevilha, o projecto arrecadou 9 milhões em 2006
(In here:
Que bom!
Não nos bastava o “turismo”, os preços exorbitantes da temporada, as filas do pão, do leite, no supermercado, os ATM sem dinheiro semana a fio, o “Can I Help you?” nos nossos restaurantes, a entrega de 10 panfletos numa só rua apregoando as curiosidades nocturnas, as praias cheias, o trânsito infernal de acesso às mesmas qual capital em hora de ponta, o campismo selvagem, os parques de estacionamento e não só cheios de auto-caravanas de cores garridas e matriculas estrangeiras, o lixo espalhado, e a sensação de estar sempre gente a mais num espaço pequeno .. não nos bastava não conseguirmos nós desenvolver os nossos recursos e por isso recorrer à publicidade do nosso sol, do nosso calor, da nossa hospitalidade para abrir portas ao estrangeiro, se bem que nem para isso nos preparamos com devidas e ponderadas infra estruturas.

Agora vamos ter o sul “inundado” de actores e actrizes, produtores e técnicos de som, acompanhados de inúmeras escoltas a pedir romãs em Agosto ou quiçá como o outro MM’s de cor vermelha .. estradas cortadas e zonas de acesso restrito, forças policiais destacadas para o efeito, e “no trespassing” por todo o lado .. e vamos concordar, e vamos comprar, e vamos facultar, que o não pode nunca dizer-se é que não somos esforçados.
Mesmo que o esforço seja o ruir dos nossos recursos pouco desenvolvidos .. convenhamos que tudo em nome de 9 milhões de euros até que é “empresa” fácil.
É o progresso .. dizem.
PS_ que ninguém lhes diga onde fica Odeceixe, s.f.f.! ;)

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Crónicas (III)

“Era uma família carenciada. Mãe e Pai deficientes. Duas crianças em idade escolar. Uma avó em bom estado físico, mas mazinha por natureza. Mobilizaram-se as gentes solidárias, ofereceu-se de tudo, fizeram-se compras, arranjaram-se empregos. Conseguiu-se dinheiro, muito dinheiro, e no “final”, obviamente, morderam as mãos que lhes deram de comer. E ainda ameaçaram. Com aquela certeza de que sendo inimputáveis por serem pobres e deficientes, nada de mal virá ao seu bem montado “mundo”! Continuam por aí.. com apelos espalhados por toda a Internet (excelente veículo para o óptimo e para o péssimo) relatando o pão que não têm para a boca dos filhos e o dinheiro que precisam para os tratamentos da mãe. Criam blogs e endereços de email como quem planta erva daninha .. aquela que cresce rapidamente sem precisar nem de água, nem de sol. Nunca se sabe quem “cai” de novo e pela primeira vez. “

Se necessidade houver de fazer o bem para além daquele que diariamente fazemos na nossa casa, com os nossos familiares e amigos, no nosso emprego, no nosso prédio ou condomínio, fica o conselho .. de graça: Pegar em dois grandes sacos de roupa daquela que se guarda mas não se veste há anos, alguns brinquedos que a pequenada vai deixando para trás intactos, duas ou três senhas ticket restaurant gastas no supermercado mais próximo em géneros de primeira necessidade e misturar tudo com alguma dose de paciência para descobrir a morada de uma ou duas das inúmeras e fiáveis associações de ajuda a mães carenciadas, crianças abandonadas ou sem abrigo … Iniciativas Pessoais, por mais credível que vos pareça a “estória” .. Jamais!

segunda-feira, fevereiro 19, 2007

Podem “gozar”!

A princesa está bem ! Outra coisa não seria de esperar com um Pai tão “mimalho” quanto ela portanto .. está bem! Responde aos meus telefonemas a rir, e só pede que não lhe ligue à noite para não ficar com saudades (engraçado como a noite agudiza o sentimento .. ou será ainda o “escuro”?) Se tivesse mais uns anos acharia eu que este pedido se prendia com o facto de não querer que eu ouvisse a música de fundo (risos) .. O Pai tem um gato (que bom!) e esse gato tem uma irmã .. “posso levar para fazer companhia ao Cooky?” Credo! Nem pensar!
Tem comido bem, dormido bem, tem-se divertido e passeado em contacto intimo com a realidade do Pai, evidentemente que diferente da da mãe .. ao fim e ao cabo diferente da dela.
A mãe? acalmou de um stress saudável para se esquecer que não tem este fim de semana de sugerir uma arrumação ao quarto, nem ajudar a apanhar os brinquedos do chão, nem supervisionar os tpc, nem pedir que o excelentíssimo gato saia de cima do parapeito da janela! Local favorito das brincadeiras de ambos.

A princesa estando bem .. óbvio que a mãe, está bem também.

Não deveria ser assim sempre e em todos os laços familiares ? Atrevo-me a assegurar que sim .. mas quando olho para o mundo .. chego à conclusão, que é de facto .. um atrevimento.

NonSense

É grande miséria não ter bastante inteligência para falar bem, nem bastante juízo para se calar. Eis o princípio de toda a impertinência. Dizer de uma coisa, modestamente, que é boa ou que é má, e as razões por que assim é, requer bom senso e expressão; é um problema. É mais cómodo pronunciar, em tom decisivo, não importa se prova aquilo que afirma, que ela é execrável ou que é miraculosa.”
Jean de La Bruyére, in "Os Caracteres"

“Bom senso e expressão – é um problema” .. ou talvez o seja a justificação.
Quando se acha que o justificar é perder terreno, é dar armas ao inimigo, é sinal de fraqueza, de indecisão. “não me interessam os detalhes .. quero a solução!” .. e não entendem que para se chegar à mesma é necessário esmiuçá-los, decompô-los, medi-los, avaliar-lhes o peso e a medida .. digo eu.

Às vezes um “não” ou um “sim” bastam. Outras haverá em que é necessário um “porque” ou um "porém" .. em qualquer dos casos almejo o dia em que a frontalidade seja reconhecida e não agredida, em que a honestidade de falas e sentires seja entendida e não deturpada.
Em que a explicação tenha eco, e esse eco tenha “caco” e substância.
Em que o todo seja de facto feito de partes, pequenas e minúsculas por vezes, mas ainda partes onde, sem elas, existiria um vazio que o tornaria .. esburacado.

Até lá .. continuarei a cansar-me a pensar no “como” em vez de me concentrar no “então”.

sexta-feira, fevereiro 16, 2007

As time goes ..

Lembro-me que gostava do Carnaval.

Gostava da “quadra”, da animação, obviamente das férias escolares.
Gostava das máscaras feitas em casa com a ajuda da avó, da preparação dos doces e das partidas para pregar em casa dos amigos dos Pais na noite do “assalto”, das pinturas, até do puxar de cabelos no penteado mais complicado ou daquele ar solto quando naquele ano decidimos todos ir à hippie!
Gostava de sair de casa mascarada e rir-me na rua de mim e dos outros. De mostrar o fato, de ajeitar o lenço da mana que tinha caído ou o chapéu de cowboy do irmão que pendia já pelas costas.
Gostava do Carnaval porque significava convívio, festa, férias sem tpc, brincadeiras no parque em frente casa, um ou outro ovo atirado à socapa, sacos de água do 3º andar, papelinhos e concursos de serpentinas, risos e folias.


Nostalgia e fim de semana no "ring a bell" .. entre um e outro acho que fecho a porta ao primeiro!
Enjoy :)

quinta-feira, fevereiro 15, 2007

Parte Personale (para ler com sotaque italiano s.f.f.)

(seguindo um conselho amigo, vou começar a escrever na terceira pessoa .. não é assim que fazem os escritores? ;) kidding ..)

A princesa ia de férias com o Pai.
Férias de Carnaval, quatro dias, uma pequena mala de roupa, uma viagem de comboio até ao Sul acompanhada da avó.
Conselhos e dicas para que acima de tudo se divirta, se compensem as ausências, as faltas ao dia do Pai, e aos espectáculos de ballet, e às festas na escola, se conte tudo tim tim por tim tim o que se tem feito, dito e gostado .. aqueles detalhes que falham num dia a dia que não se partilha, que falham nas conversas telefónicas porque se está a jantar ou a tomar banho ou a fazer os tpc, perguntas que são respondidas de forma mais distraída que concentrada.

A princesa ia de férias com o Pai e ela .. a mãe, estava a ficar um bocadinho ansiosa. Raios!
À pergunta “Mãe, ficas triste se eu for ?” respondeu alegremente que ficava triste se ela não fosse por pensar que a entristecia indo. Percebeu.
Triste não mas continuava algo apreensiva.
Não por serem férias, não por ir para o Pai, não por ter feito, desfeito e refeito a dita da mala da roupa ou por já ter verificado 10 vezes se os bilhetes de comboio estavam bem impressos e se tinha ou não avisado o Pai (3 vezes, contou ele) a que horas chegavam ao Sul, não por ter verificado (outras 10 vezes) se o benuron e o xarope da tosse acompanhavam a roupa interior e as pantufas (just in case) .. apreensiva pela falta que sabia a princesa lhe iria fazer durante uns pequenos (convençam-na disto se conseguirem!) 4 dias!

;)

Crónicas (II)

“Tivemos um grande acidente em casa, também nos vamos mudar” relatava-me a pequena, colega da princesa, enquanto eu, meia distraída a ajudava a vestir a manga do casaco (engraçado como tudo serve de manhã, bem arranjada, e ao final da tarde parece sempre que tem roupa a mais, malas a mais, a corda de saltar que afinal deixou de caber na mochila .. ) .. “ai sim ? então .. um incêndio?” perguntei apercebendo-me que nos olhos da garota o drama era superior a qualquer incidente do tipo fogo, inundação ou roubo .. “não (pausa para engolir em seco) .. os meus pais vão separar-se!”

Um grande acidente .. ! A conversa até casa foi a forma como a colega está a lidar com a situação. Desde o sentir-se algo culpada “ela acha mãe, palavra que ela acha ..” até à decisão de com quem ficar. “Ela vai a tribunal mãe .. que horror!” a minha filha pensava que só vão a tribunal as pessoas que se portam eventualmente menos bem e que a consequência pura e simples é a prisão .. aterradora a ideia.

Fui a matutar o caminho todo e hoje ainda pensava no assunto.
Espero que aqueles pais consigam, não agora no meio do processo sempre doloroso que é um separar de vidas, mas um dia tirar da cabeça da garota a sua “culpa”.

Não há nada mais terrífico que aos 9 anos de idade nos sentirmos responsáveis pela dor, pela tristeza, pela lágrima de quem deveria velar pela nossa felicidade.

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

Happy Day's ;)

“História: A história do Dia de São Valentim remonta um obscuro (não vou comentar .. ) dia de jejum (aqui também não .. risos) da Igreja Católica, feito em homenagem a São Valentim.
A associação com o amor romântico (há outro?) chega depois do final da Idade Média, durante a qual o conceito de amor romântico foi formulado (já aplicado .. enfim !).

O dia é hoje associado à troca mútua de recados de amor em forma de objectos simbólicos. Símbolos modernos incluem a silhueta de um coração e a figura de um Cupido com asas. Iniciada no século XIX, a prática de recados manuscritos deu lugar à troca de cartões de felicitação produzidos em massa. Estima-se que, mundo fora, é enviado cerca de um bilião de cartões com mensagens românticas, tornando este dia um dos mais lucrativos do ano.
Sabe-se ainda que as mulheres compram aproximadamente 85% de todos os presentes. (humpfff)”.

Na escola da princesa há o hábito da troca de pequenos presentes neste dia.
Presentes de amigos, e não de namorados (yet!), são trocados entre a criançada.
Ontem fomos comprar aquele que ela vai oferecer. Já sabia para quem, mas provoquei-a com a pergunta sobre o destinatário. Resposta pronta: “Se ele ainda gostar de mim, o que lhe vou perguntar logo de manhã, caso contrário fica para mim!” risota .. e há alguém de quem gostemos mais que de nós mesmos?

terça-feira, fevereiro 13, 2007

(contando até 10)

Após 45 minutos de trânsito intenso para percorrer um míseros 12 km .. de ter avisado o office que estava sem conseguir “voar por cima de tudo e de todos” para chegar a horas, de ao telefone ter resolvido a falta do motorista de hoje e a marcação de sala para a reunião que se atrasou também (pudera!), de ter conseguido estacionar num parque vazio (não fui só eu que me atrasei afinal ..) chegar ao local de trabalho e ouvir “é melhor começar a levantar-se mais cedo para resolver o problema do trânsito ..!” de uma cara fechada ainda antes da resposta ao meu bom dia sorridente .. não é bonito!

Quando as pessoas não equacionam os seus problemas com o Mundo e acham que podem “extravasar” em cima de quem lhes aparece à frente, acontecem coincidências, ou não, engraçadas ..

Parei perto da secretária do senhor mal-encarado e autor da frase menos polida, equilibrei os inúmeros papeis que tinha preparado e careciam da sua (dele) assinatura, tudo airosamente ainda a segurar a chávena do café e é evidente que .. a entornei!

Não tendo, obviamente, sido de propósito, penso que para a próxima vai optar por, pelo menos, responder primeiro ao meu bom dia sorridente ..

Infelizmente, ainda, muitos dos nossos empregadores primam a hora de saída e a hora de entrada, e não o que se faz enquanto permanecemos no local de trabalho .. e porque das minhas competências não consta o digitar destes “desabafos” .. (risos) .. Hasta *

segunda-feira, fevereiro 12, 2007

Eu .. e os ditos “grandes espaços” ..

Ainda o ninho novo.
Ainda os ajustes de candeeiros para pendurar, tomadas a substituir, fios e puxadas eléctricas de uns quartos para outros, tês, ins e out’s, tintas afinadas, fitas de estore (com ou sem rebordo colorido? hein?) .. Lá pego eu na lista imensa feita a preceito, pelo mano mais velho, e cheia de explicações para leigos, e vou direitinha a uma das nossas fantásticas grandes superfícies vocacionadas para a bricolage.
Entrei por outro parque de estacionamento (a princesa bem tinha dito que era para voltar à esquerda) .. fico 10 minutos parada porque estava na hora das excursões de Santa Comba Dão (eu achava que já lá haveria pelo menos um grande supermercado mas pelos vistos.. ) e tive de esperar que todas as três camionetas enchessem de gente e sacos, para conseguir seguir caminho, e finalmente, chego, ao parque de estacionamento correcto.
Cheio! Completamente cheio. O meu ar deveria ser do tipo”salvem-me!”, aparece-me um senhor de colete verde a explicar-me que excepcionalmente não havia lugar, mas que poderia deixar o carro logo ali que ele tomava conta e evitava engarrafamentos, era a função dele, estava destacado este fim de semana, tinha começado a trabalhar às 08h00, enfim .. Agradeci! E estacionei.

Entradas naquele mundo, começa a aventura de encontrar nos inúmeros corredores todos numerados (contei 78 eu ..) os pequenos (pareciam minúsculos ali .. ) artigos constantes da lista.

“Bom dia .. Posso fazer-lhe uma pergunta?” “Claro .. diga”. “Onde encontro tês com dois ins e um out?” (palavra de honra que me senti completamente estúpida a verbalizar algo que não conseguia entender) .. sorriso irónico, pequeno suspiro “Todos os tês têm duas ins e uma out” (e ele tinha de responder com o mesmo vocabulário? tinha?) .. Corredor 72!

Que sorte .. estávamos no 12!
Não foi bonita a descasca que dei ao mano .. perdido de riso, quando cheguei a casa!

Comércio tradicional please .. e depressa ! Mesmo com coisas que não sei para o que servem, nem como funcionam!

É pena ..

“Por exigência contratual do próprio Al Gore, a sessão foi restrita a convidados e não pode ser registada pelos media”. In http://dn.sapo.pt/2007/02/09/sociedade/al_gore_passa_lisboa_rota_para_salva.htm
É pena!
Muitos ainda pensam que isto é coisa de cinema .. que não vai sequer acontecer, ou que a acontecer será em "setemiletrocaopasso", que é cenário alarmista de quem não tem nada para fazer, que não há provas nem evidências, que é a natureza, o fim do mundo, a vontade dos deuses ou dos diabos, e outras anormalidades recorrentes, .. portanto .. é pena ! Que alertas como este sejam destinados a públicos reduzidos, que darão ou não seguimento à informação recebida, que procederão ou não à implementação de comportamentos que todos deveríamos adoptar .. ontem!

sexta-feira, fevereiro 09, 2007

Estudando e .. "stressando"

A princesa começou com provas na semana passada. Temos por hábito, chegar a casa e dar uma vista de olhos na matéria do dia, ver se há alguma dúvida, corrigir os trabalhos de casa ou fazê-los (ela!) quando não tem tempo para tal na escola .. etc.
Ainda não passamos tardes inteiras a estudar mas já temos o hábito dos apontamentos (como eu me dei bem com isto!) e lá vai resumindo em palavras suas a matéria dada pela Professora.
A provas começaram com uma de História (desde os primeiros povos que habitaram a península até à reconquista cristã), seguiu-se Língua Portuguesa, Matemática e finalmente Estudo do Meio. Sentei-me ontem com ela para as últimas dúvidas. Além da nascente e jusante dos principais rios portugueses (esta é fácil mãe, nascem quase todos em Espanha .. risos), passámos pelas principais serras de Portugal Continental e Ilhas (as dos Açores e da Madeira são de origem .. vulcanosa (?) hein?? Vulcânica rapariga! (mais risos) e seguimos para o Sistema Solar. Planetas, Astros, Estrelas, as fases da Lua, os nomes e as posições do Planetas em relação ao Sol (esta tem de decorar .. eu tinha uma cábula mental para isto mas acreditam que já não me lembro?) até Plutão!

Claro que acompanhei a polémica, claro que me lembro de ter ouvido (muito) falar do assunto, mas não é que Plutão deixou mesmo mesmo de ser ensinado como o último planeta do Sistema Solar?! Raios .. Um planetóide? Mas que coisa é um planetóide?!
Mãe sofre .. ;)

Que esta notícia não "estrague" o vosso fim-de-semana *

quinta-feira, fevereiro 08, 2007

Crónicas (I)

"Era uma bebé gorducha, de olhos bem amendoados, bem disposta e de pouco choro. Perante a escolha do nome não se fez tardar a reacção das avós babadas: Que nome tão grande para uma coisinha tão pequena! E rapidamente trataram de lhe arranjar um diminutivo à medida dos seus 51 cm. "

Nunca me dei bem com diminutivos. Entrar numa pastelaria e pedir um “cafezinho e um copinho de água” soa-me a aberração. Nunca pedi a “mãozinha” da minha filha para atravessar a estrada, nunca lhe mudei “fraldinhas” e as “papinhas” não existiram no nosso quotidiano. Igualmente não me refiro à minha “casinha” ao meu “carrinho” e não sugiro à criança ir para o “quartinho” brincar com as “bonequinhas”. Não dou “pulinhos” a lado nenhum nem “corridinhas” de fim-de-semana e estar cinco "minutinhos" ao telefone parece-me sempre tempo demais.

Nunca gostei dos "inhos" e dos "itos" desta nossa língua mãe.
Por isso, quando esta manhã me pediram “arranje-me aí um espacinho”, respirei fundo, contei até 3 (relaxo depressa eu ..) e apeteceu-me mesmo mesmo responder que não! Sem mais justificações.

Tenham calma .. Limitei-me a ir beber um café e pensar que o que me incomoda a mim não tem obrigatoriamente que incomodar os outros, e que afinal não custava nada “arranjar” o “espacinho” que me estavam a pedir.. :) Perante o caos em que atravessei a cidade para chegar ao local de trabalho, até me parece um empreendimento de somenos importância .. o "espacinho"!

quarta-feira, fevereiro 07, 2007

nützlich!

Numa altura em que cada vez mais de se fala destas monstruosidades http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=770929&div_id=291 talvez não fosse má ideia começarmos a ler isto http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=769550 com alguma atenção e a aplicarmos em casa, na escola, em conversas com os amigos e em alertas para os filhos, as noções de segurança que nos são recomendadas .. :) digo eu .. que nem pc tenho at home .. yet !
Fica a dica .. :)

Ainda a actividade física ao serviço da Música ..

Após reunião com representantes da Câmara e do Agrupamento, na presença do dito "professor" ficámos a saber:
- que a actividade proposta foi pontual e não para manter nas aulas de música (que sorte para Mozart! );
- que o "professor" alega que é psicólogo (ao serviço da disciplina de música .. tem tudo a ver .. não vão as notas musicais entrar em depressão profunda e .. quiça .. alterarem os seus sons e posturas na escala .. );
- que o "professor" não precisa desta ocupação para nada e só aceitou o convite da empresa Flex para assegurar este horário porque gosta do que faz (fiquei em dúvida se o que ele gosta é de ver as crianças a lutar, se gosta afinal de música (mesmo da imperceptível que acompanha os combates) ou se gosta de psicologia;
- que acabada a reunião, o "professor" entrou na sala do 4º ano e "pregou" literalmente uma "descasca" a todos os meninos por terem ido fazer queixa (psicologicamente correcta esta ..).
Perante a queixa formulada sabemos que o "professor" não voltará a entrar no recinto escolar mas .. eu quero ter a certeza que não volta a entrar em nenhum outro, portanto, seguimos em frente.

terça-feira, fevereiro 06, 2007

Ensinar a Violência: Actividade de Enriquecimento Curricular

Ontem, na escola da princesa, o 8º professor colocado ao serviço da disciplina de Música desde que começaram as aulas em Outubro de 2006, e na sua segunda aula, teve uma ideia brilhante:

- Constituir equipes de wrestling, desenhar um ringue no chão, e incitar as crianças a lutar umas contra as outras.

Os rapazolas acederam de imediato, as meninas, algumas choraram, outras pediram inteligentemente para ir à casa de banho e simplesmente saíram da sala. Não sem antes serem interpeladas pelo “professor” se tinham a certeza que não queriam participar e de lhes ter sido prometido que da “próxima não escapavam!”.

É evidente que já dei conhecimento desta situação a todos os órgãos competentes;
É evidente que isto só se passa porque este ano lectivo o governo teve a brilhante ideia de acabar com as actividades de tempos livres e facultar a empresas como a Flex a contratação de “professores” deste calibre que asseguram desta forma as actividades de enriquecimento curricular dos nossos filhos;
É evidente que os rapazes chegaram ao final da aula, suados, magoados, com a adrenalina no seu limite, mas sem conseguirem ainda dizer onde fica o dó na escala musical;
É evidente que no que se puder fazer, este “professor” não dá mais uma aula na sua vida .. Nem num ginásio!

É evidente que este é um pequeno pedaço do espelho (partido) daquilo que se passa no ensino oficial da nossa grande Lisboa ..

segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Grandes Portugueses .. Vidas Pequenas..

Já vinha a com ideia de escrever sobre isto hoje, e depois do que li aqui http://outrasnotas.blogspot.com/ (leitura que aliás recomendo ..) ..
Grandes Portugueses .. quem são os grandes portugueses a “concurso” ? Personalidades ilustres, que de alguma forma (boa ou má segundo me parece e não vem ao caso ..) marcaram a história do nosso País.
Podemos abrir o leque ? podemos pensar na quantidade de Grandes portugueses forçados a emigrar para sustentar as famílias ? Naqueles que lutam diariamente para colocar o pão em cima da mesa? Nos que perdem o emprego porque alguém decide fechar uma fábrica que não dá lucro? Ou nos que vêm os contratos cancelados porque … ? Nos que desesperam em listas de espera com filhos a precisar de intervenções cirúrgicas? Nos que vêm as escolas dos filhos fechadas e optam (como se outra escolha houvesse) por mantê-los a trabalhar no campo? em todos os que dormem em cima das “bocas de metro” e deambulam pelas ruas da nossa cidade capital?
Ou talvez possamos pensar, já que em medidas de grandeza se tornou a noção, em todos os que ainda e orgulhosamente defendem ainda (reforço) o nosso País?

Esses todos para mim são Grandes, Enormes e infelizmente … Anónimos. E quando um “concurso” que os vise houver, votarei.

sexta-feira, fevereiro 02, 2007

Pensando ..

No porquê de determinadas atitudes de pessoas que nos são próximas e queridas .. no porquê da palavra menos simpática, do tom agreste, do ar de enfado .. que esperamos de quem nos rodeia e a quem nos damos ? .. Acima de tudo que nos entendam. Que nos apoiem .. incondicionalmente. Que nos critiquem. Que nos ralhem se for necessário mas que nos mimem quando precisamos e deixem o "ralhete" para mais tarde .. será assim tão dificil ? é ..
Nem sempre conseguimos colocar ao alto as nossas aflições e preocupar-mo-nos com as dos outros. Nem sempre conseguimos colocar a nossa infelicidade de lado e ficarmos felizes pelos outros .. o Ser humano é um ser egoista.
Posto que foi de lado o Principezinho, a princesa lá de casa começou a ler o Pipas de Massa (da autoria de Madonna- tem tudo a ver não tem?) O Pipas de Massa tinha como o nome indica pipas de massa, mas há muito que procurava o significado do termo felicidade .. como ? tornando infelizes todos os que o rodeavam e a viviam!
"Lição" Nº Um .. fim de semana à porta .. deixemo-nos de "palermices" que tenho uma casa inteirinha para arrumar ;)
Até segunda *

quinta-feira, fevereiro 01, 2007

Mudança

Estamos “definitivamente” .. acampadas !
Temos um único quarto montado – o da princesa, obviamente .. ainda com três caixotes por abrir .. de resto .. um perfeito acampamento, sem galinhas à solta .. !

Aguardo a entrega dos móveis, da TV (que descanso .. ) do meu quarto .. e anseio pelo fim de semana para poder escolher a cozinha ! Até tachos me faltam, credo!
Mas .. nestes últimos três dias temos chegado a casa desejosas de abrir mais um caixote .. de arrumar mais uns tarecos, de desesperar pelo que não se encontra à primeira, será que trouxemos ?
Dá-me gozo este projecto nesta altura da minha vida .. e ao ver o entusiasmo da minha filha com a mudança, tenho quase, quase a “certeza” .. que fiz bem !

Não me parece contudo que o nosso Cooky seja da mesma opinião .. anda num frenesim à procura do seu cheiro e do seu canto que miraculosamente, desapareceram do espaço !

Claro que temos de nos levantar um pouco mais cedo, apanhamos mais trânsito, levamos um pouco mais a chegar .. mas a isso chamo .. danos colaterais não irreversíveis ! (risos)

Just Being ..

"Being here is like--like--being taken on a holiday when one has been a good little girl and done all one's lessons."
- Book One, Chapter 9, The Age of Innocence, Edith Wharton - 1920

E ele há coisa melhor que o sentimento do dever cumprido e o antecipar do direito consequente ? .. claro que não .. digo eu.
Bom pensamento este .. tendo em conta que são 08:43 am ;)